segunda-feira, 14 de julho de 2014

Sim, a Copa das Copas


Devemos todos admitir: a Copa do Mundo no Brasil foi fantástica. Grandes jogos, belos estádios, um campeão merecido. Muito pouco temos a reclamar do evento, que de forma geral foi um sucesso.

Confesso aqui publicamente que esperava alguns problemas, e não pelo povo brasileiro ou pelos que foram aos estádios ver os jogos, mas pelos nossos governantes, do municipal ao federal. Graças a Deus não tivemos os problemas, ainda que alguns estádios tenham sido entregues aos 45min do 2º tempo, ainda que muitas obras tenham sido entregues no mesmo momento (como foi o caso do trecho viário que vem do Aeroporto de Curitiba - que fica em São José dos Pinhais - até a cidade de Curitiba), ainda que em Cuiabá tenham escondido os trechos inacabados das obras, ainda que a Tia Dilma tenha inaugurado obras inacabadas (Aeroporto do Galeão, uma obra viária em Recife, metrô em Salvador, por exemplo).

A desconfiança do brasileiro para com seus administradores é lógica, afinal as obras no país costumam atrasar. Oras, a Copa tinha data para iniciar e acabar, e tinha até estádio que quase não fica pronto para o jogo inicial naquele campo. Um exemplo disso foi a Arena da Baixada, em Curitiba, que ficou pronta quase no início do evento ... e ainda tiveram coisas que não ficaram prontas, como antes previsto, e resquícios da construção pudessem ser encontrados no estádio, como me apontaram alguns amigos (por mais que seja uma obra privada, cabia ao comitê organizador cuidar para que fosse acelerada).

É verdade que na Alemanha também tiveram atrasos e furos de orçamento quando a Copa foi realizada naquele país em 2002, mas se comparados com o que ocorreu no Brasil, o país germânico poderia servir de exemplo ao mundo. Ainda, erros de outros não amenizam os nossos erros.

Voltando ao evento, devemos admitir que a abertura foi horrível. FRAQUÍSSIMA!!! Como disse um amigo meu, parecia apresentação de 4ª série (hoje seria 5º ano) escolar. Um monte de gente perdida agitando os braços ... e daí a vem a Cláudia Leite vestida de Galinha Pintadinha ... sério?!? O Brasil não merecia mais??? Isso sem falar em não se ter nenhuma referência a Pelé, O MELHOR JOGADOR DE FUTEBOL DA HISTÓRIA.

Os jogos foram, em sua grande maioria, muito bons. Mesmo seleções de menor expressão fizeram um bom trabalho, tal como o Irã que deu um sufoco na Argentina, ou a Costa Rica que consegue se classificar deixando Itália e Inglaterra eliminadas já na primeira fase, ou até Estados Unidos que eliminou Portugal. Grandes jogos, sem dúvida.

Olhando para a surra histórica-vergonhosa-humilhante que o Brasil levou da Alemanha, devemos reconhecer que foi um show de futebol apresentado por aquela que viria a ser (merecidamente) a grande campeã do evento.

Sim, tivemos grandes jogos, belos estádios lindas imagens (claro que a retransmissora da FIFA não iria colocar imagens feias ... com exceção da imagem ao lado rssss), mas não foi só isso. Tivemos pouquíssimos casos de invasão de campo (ainda bem que não foi nenhum brasileiro), o que já é uma vitória se levarmos em conta que no Brasil não temos o hábito de ter o acesso tão livre para o torcedor chegar ao campo. Também, não tivemos problemas de mobilidade urbana, ou atraso nos vôos (quem sabe agora a m&$#@ do governo aprende e mantêm o "padrão FIFA" nos aeroportos), poucos casos de protestos (considerando o que disseram que iriam fazer, foi quase nada).

O povo brasileiro se comportou muito bem, mostrou que é hospitaleiro, que sabe respeitar seus visitantes (o que não quer dizer que não vá provocar os argentinos). Até mesmo Curitiba foi um exemplo (para o ódio de gente que conheço que diz não gostar da cidade).


Devemos dar a mão a palmatória e reconhecer que o governo brasileiro (sim até o federal, ainda que não gostemos da Dilma e do PT) fez um belo trabalho, que o povo brasileiro mostrou sua simpatia e hospitalidade, que esta Copa foi sim "a Copa das Copas" - pelo menos dentro dos campos.

Mesmo assim, isso não muda o problema do LEGADO da Copa que apontei em um texto publicado aqui mesmo (em 17/09/11 - Os grandes eventos desportivos no Brasil). Eu já tive a oportunidade de perguntar para um dos coordenadores dos grandes eventos desportivos, membro do governo federal, se havia algum projeto esportivo para se usar as estruturas construídas, e a única coisa que ele me disse que essas arenas serviriam para trazer shows e eventos semelhantes. Muito pouco para quem tem o dever de fomentar o desporto no país.

Espero que pelo menos para as Olimpíadas tenham a vergonha na cara de criar um projeto desportivo decente, para que as estruturas não se degradem rapidamente.

PS: não vou comentar nada sobre a seleção brasileira, porque tantos melhores do que eu já o fizeram.

PS2: mesmo reconhecendo o belo trabalho do governo federal, não voto neste partido e nem na Dilma, e portanto (e somando a isso a vergonha da seleção) ...


_____________________________________
Fica autorizada a reprodução integral deste post, desde que citada a fonte conforme texto a seguir:
BRANDALISE, André Luiz de Oliveira, Sim, a Copa das Copas, publicado em 14/07/14 no site “André Brandalise” - http://www.alobrandalise.com/2014/07/sim-copa-das-copas.html

10 comentários:

  1. Olá Branda!
    Interessante análise, esta que você fez. Vou fazer somente duas observações:

    "Tivemos pouquíssimos casos de invasão de campo (ainda bem que não foi nenhum brasileiro)"... Não foi bem assim: No jogo Brasil X Colômbia, ocorrido na Arena Castelão (Fortaleza/CE) em 04/07/2014, um brasileiro devidamente paramentado com a bandeira nacional invadiu o campo logo após o juiz soar o final da partida. As câmeras não mostraram, mas o tal aficcionado conseguiu correr quase até o círculo central do campo - onde estavam os jogadores se confraternizando, David Luiz e Daniel Alves aplaudindo e reverenciando o James Rodriguez, e tals... - até ser alcançado por três stewards. A corrida foi grande, deu um trabalhinho pros seguranças conseguirem derrubar o cara no gramado, mas ele saiu calmamente, acompanhado por um dos laranjinhas da Fifa.

    "Eu já tive a oportunidade de perguntar para um dos coordenadores dos grandes eventos desportivos, membro do governo federal, se havia algum projeto esportivo para se usar as estruturas construídas, e a única coisa que ele me disse que essas arenas serviriam para trazer shows e eventos semelhantes"... Acredito, caro Branda, que isso seja bem variável de Estado para Estado. Aqui no Ceará, por exemplo, a Arena Castelão foi o primeiro estádio da Copa a ser inaugurado e foi amplamente utilizado antes do 1º jogo da Copa, para eventos esportivos, culturais e artísticos de modo geral. Focando no "projeto esportivo", o qual citaste, colado ao estádio está sendo levantado pelo Governo Estadual, com parte de verba do Governo Federal, o Centro de Formação Olímpica do Nordeste (CFO-NE), com obras aceleradíssimas e excelente proposta de fomento do esporte tanto de alto nível quanto o de uso da comunidade. Confere aqui: http://blogs.diariodonordeste.com.br/robertomoreira/ferruccio-foi-escolha-certa-de-cid-para-cuidar-do-centro-de-formacao-olimpica-do-nordeste/

    Então, isso é bem relativo. Verba tem. Talvez o que falte sejam administradores da coisa pública mais bem preparados e imbuídos de vontade política para tocarem projetos de interesse da população. Quem me conhece sabe que tenho uma visão bem crítica sobre os nossos governantes nas três esferas, mas devo reconhecer - assim como você o fez em relação à Copa - que, no caso do Ceará, a agenda esportiva do Governo Federal e, principalmente, do Estadual, está indo muito bem. Diferentemente de alguns outros Estados, onde se construíram imensos elefantes brancos sem previsão de uso definido.

    Abçs!

    ResponderExcluir
  2. Grande ajuda seu comentário. Valeu meu caro.

    ResponderExcluir
  3. Olá Branda!
    Deixo aqui a dica de uma publicação interessante acerca do tema que levantaste: http://www.netserv19.com/ecommerce_site/produto_97298_1599_Como-Escrever-e-Publicar-um-Livro-Org-Assis-Almeida


    Abçs!

    ResponderExcluir
  4. Opa!!


    A edição melhorou horrores, André! Gostei do papo e do conteúdo tb.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Também serve para quem tiver interesse. Boa dica

    ResponderExcluir
  6. Gabriel Felipe Schaefer24 de março de 2015 10:09

    Laranja mecânica não era livro ??? Da onde isso ?? Era sim!!

    ResponderExcluir
  7. Você está correto. Somente depois verifiquei que é um livro.

    ResponderExcluir
  8. Gabriel Felipe Schaefer24 de março de 2015 11:49

    HAhaha levei até um susto achando que eu estava louco. hahahah, mas parabéns pelo site e pelo podcast. Me ajudou muito a tomar decisões sobre a trajetória de escrever um livro. Estou escrevendo uma estória a uns anos e pretendo publica-la. Vou pensar direitinho referente as coisas que ouvi no seu cast. Muito obrigado!! Se tiver interesse, entre no meu blog/podcast que iniciei a um mês. https://castigados.wordpress.com/ Falamos sobre cinema, jogos, séries e livros. Abração e parabéns mais uma vez.

    ResponderExcluir
  9. Que bom que você gostou. A ideia era exatamente colocar as três situações mais comuns: quem não consegue terminar de escrever, quem consegue terminar e buscar publicar e também a visão da editora.
    Pode deixar que vou conferir seu blog/podcast. E obrigado pelas palavras e incentivo

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...