domingo, 30 de junho de 2013

Sobre as atrações na Jornada Mundial da Juventude

Saiu na imprensa a confirmação das atrações que estarão na JMJ, e isso gerou uma grande discussão. Eu iria ficar quieto, mas hoje resolvi falar (ou escrever) após algumas coisas que vi por aí.

Primeiro deixo claro que não tenho nada contra a inclusão no evento de artistas que não tenham sua atividade relacionada à religião. Então, não vou escrever aqui nada contra os chamados artistas seculares, mas isso não quer dizer que para mim é um "liberou geral".

A Jornada Mundial da Juventude é a semana de eventos da Igreja Católica PARA os jovens e COM os jovens. Ela reúne milhares de jovens do mundo todo para celebrar e aprender SOBRE a fé católica e para construir pontes de amizade e esperança entre continentes, povos e culturas, além de compartilhar entre si a vivência da espiritualidade.

Para João Paulo II a JMJ
Inspirado por grandes encontros de jovens do mundo em eventos especiais ocorridos no Domingo de Ramos em Roma em 1983 e 1984, o Papa João Paulo II estabeleceu a Jornada Mundial da Juventude como um evento anual e um meio para alcançar a nova geração de católicos e PROPAGAR os ensinamentos da Igreja.

E qual a relação disso com as "atrações" que estarão na JMJ? Vamos começar com algumas analogias:

- quando se vai ter um evento de algum partido, os que estarão como "atração" ou irão ser os referenciais, com certeza serão pessoas ligadas ao partido, ou pessoas que sejam simpatizantes à ideologia do mesmo. Do contrário, estamos falando de um debate, em que posicionamentos diferentes poderão ser colocados para confronto ideológico.

- quando se fala de um evento para ateus, não se espera que um religioso esteja no palco ou mesa, se não for para debater. Quando a meta é expor e reafirmar o posicionamento dos ateus, estará lá apenas que é ateu.

Isso que disse não se trata dos que irão participar, mas dos que estarão de algum modo atuando diretamente e de forma servir como atração.

Principal atração da JMJ é o Papa
O que se espera quando se vai a um evento religioso, é que as "atrações" sejam pessoas ligadas ou vivam o que se prega nesta expressão religiosa. No caso específico, como a JMJ tem como objetivo PROPAGAR OS ENSINAMENTOS DA IGREJA, nada mais coerente que as "atrações" estejam plenamente de acordo com os ensinamentos da Igreja e vivam a fé católica. Algo coerente, não é?

Ocorre que vendo os diversos anunciados, vemos algumas pessoas que HOJE, pelo que vivem e defendem, não poderiam ser chamados para participação como artista. É o típico exemplo da Ana Maria Braga, que constantemente em seu programa na TV defende posicionamentos contrários aos ensinamentos da Igreja Católica, ou a ataca diretamente.

Algumas pessoas falaram o seguinte:

- Jesus estava em meio aos pecadores, ia comer com eles, andava com eles, etc., e citam Maria Madalena, Mateus (o cobrador de impostos), e tantos outros. Então devemos acolher a todos na JMJ.

É verdade, Jesus não fez acepção de pessoas, mas os que andavam com ele só passaram a falar em seu nome após uma mudança de vida e adesão ao que Ele dizia. Colocar a Ana Maria Braga participando do evento como "atração artística" é uma incoerência com os atos de Cristo.

Não se trata de ser democrático ou não, não é essa a questão. A situação é, se o evento tem como meta PROPAGAR OS ENSINAMENTOS DA IGREJA, colocar pessoas que apresentem um testemunho de vida contrário ao que diz a Igreja, é como se estivesse dizendo a todos: "Vejam só, ela é um exemplo a ser seguido".

Todos serão muito bem acolhidos como participantes, mas colocar qualquer pessoa em cima do palco é um erro.

- Se o artistas não estão em mídia católica (como a Canção Nova, Rede Evangelizar, Rede Vida, etc.), quer dizer que não podem participar do evento? Isso é excluir porque está no mundo secular e não no religioso.

Esse comentário é muito fraco. 

Como já disse antes não sou contra que os artistas seculares participem do evento religioso, até acho muito bom para mostrar a todos que é possível viver a fé católica sem estar em um ambiente religioso. Sim, é possível ser ator e ser católico (Jim Caviezel é um exemplo disso), ser cantor e ser católico (Harry Connick Jr. e Elba Ramalho hoje mostram isso), ser advogado e ser católico (eu me incluo nessa), e tantos outros casos. A questão não está na sua atividade profissional ou ambiente, mas em seu testemunho de vida.

Vamos pensar algo um pouco extremo: a Gretchen ser convidada para representar a Virgem Maria. Alguém consegue imaginar um absurdo tão grande como este? Poderia a Gretchen, pelo seu testemunho de vida, representar o papel de alguém tão importante para a fé católica? E chamar o Dep. Jean Willys para representar Jesus? O que acham? Claro que não, pois as histórias e vidas deles (Gretchen e Jean Willys) HOJE estão completamente fora dos ensinamentos da Igreja.

Será que é tão difícil ver isso? 

- Não podemos julgar as pessoas, só Deus pode julgar.

Da forma como tanto usam esta frase, e sobre o que usam, algumas vezes fico até bravo só de ler isso.

Não se trata de julgar ninguém, mas de usar a inteligência que Deus nos deu para analisar a situação de uma forma bem direta e clara: o evento é para PROPAGAR OS ENSINAMENTOS DA IGREJA e algumas das pessoas convidadas não servem de exemplo de vivência da fé católica. Simples e direto. 

Aí vem alguém e diz: "mas ao fazer isso você está julgando!!!"

Engraçado, se fossem a Gretchen ou o Jean Willys esse povo gritaria, mas como pode até ser algum artista que gostam, resolvem RELATIVIZAR a situação.

ENFIM, vejo que as pessoas que defendam a participação de qualquer pessoa na JMJ só vê um lado da moeda (Deus é amor e compaixão), mas esquece que este mesmo Deus falou ao jovem rico para largar tudo e segui-lo, para a prostituta deixar de pecar, e assim por diante. Sim, Ele acolheu a todos, mas em seu nome só foram aqueles que O aceitaram como Senhor e aderiram ao que Ele dizia.

O pior de tudo é ver sacerdotes que aceitam e propagam esta ideia relativizada como se fosse a mais certa. Antes não falassem nada, pois em vez de ajudarem estão induzindo ao erro.
_____________________________________
Fica autorizada a reprodução integral deste post, desde que citada a fonte conforme texto a seguir:
BRANDALISE, André Luiz de Oliveira, Sobre as atrações na Jornada Mundial da Juventude, publicado em 30/06/13 no blog “André Brandalise” - http://alobrandalise.blogspot.com.br/2013/06/sobre-as-atracoes-na-jornada-mundial-da.html

18 comentários:

  1. CLAP,CLAP,CLAP!!!!!!Pra aplaudir de pé,meu caro!Brilhante exposição!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado meu amigo.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da reflexão. Fico apenas com uma dúvida: O
    que fica difícil avaliar nesse tipo de situação é: quem é católico e
    quem não é? Todos esses dizem professar a fé católica (e alguns eu sei
    que são mesmo, como o Tony Ramos, por exemplo). Como avaliar quem pode e
    quem não pode estar lá? Pessoas públicas, acabam sendo pecadores
    públicos, já que tudo o que fazem saem na mídia. Serão mais indignos que
    nós que não temos nosso pecado na TV?

    ResponderExcluir
  4. SIDNEY PEREIRA DA CUNHA30 de junho de 2013 01:29

    MEUS PARABENS MEU IRMÃO!!! BELÍSSIMA COLOCAÇÃO. É DE PESSOAS COMO VOCE QUE A IGREJA ESTÁ PRECISANDO. PRECISAMOS SIM , DENUNCIAR ESTA ONDA DE SECULARISMO QUE INVADE NOSSA IGREJA COM A CONIVENCIA DE PESSOAS QUE USAM ATÉ MESMO A PALAVRA DE DEUS PARA DEFENDER ESTAS ALIANÇAS COM O MUNDO. QUE JESUS TE ABENÇOE RICA E PODEROSAMENTE!!!!

    ResponderExcluir
  5. A questão não está no pecado em si, pois todos somos mesmo (como o próprio Papa Francisco colocou um dia desses), mas a questão está no testemunho de vida. Isso vemos pelo posicionamento adotado e pela vida que leva (e uma simples consulta no google nos mostra isso sobre os famosos).

    ResponderExcluir
  6. Obrigado. Não vejo que se trata de denunciar uma onde secularismo, mas sim colocar uma opinião pensada sobre algo. Tentei analisar a situação de forma simples.

    ResponderExcluir
  7. André, mais uma vez sensacional...gostei muito...é assim quem penso também! Deus abençoe! Continue sendo esse instrumento de Deus para dizer a verdade por meio de seus escritos.

    ResponderExcluir
  8. DEUS TE ABENÇOE E TE GUARDE !!! MUITO OBRIGADO PELO TESTEMUNHO. ISTO SIM É MOSTRAR O ROSTO HUMANO DE DEUS !!! BENDITO E LOUVADO SEJA DEUS !!!

    ResponderExcluir
  9. André! Vamos a alguns esclarecimentos, atrações artisticas e algo que acontece na JMJ desde de sua existência. Em Madrid 2011 quando estava la teve show do Jonas Brother, e outros que não conheciam e ate engraçado achei um tempo depois, pois a música que foi mas tocada no evento foi kuduro, que os jovens se divertiam dançando-a. Inclusive uns amigos angolanos, mas veio para o Brasil e ganha apelo sexual. Enfim quero dizer que a JMJ "permite" essas situações, coisa que não vemos no dia a dia da Igreja ou em outros festivais. Sabemos que a Igreja não precisa desses pra sua promoção e nem eles para sua promoção como artistas. E outro coisa como vc disse é um evento para levar os ensinamentos cristão, certo, mas na pauta do evento está como participantes, cristãos e todos aqueles homens como boa vontade, não esta escrito que necessariamente tem que viver a fé, eles só não pode estar mal intensionado. E por fim Deus sempre tira proveito de tudo, e se é para conversão desses artistas ou ser usados e mudar habitos daqui pra frente, ou se jovens que iram por conta deles conhecer mais sobre a Igreja e se apaixonarem. ASSIM ESPERO QUE O SENHOR TIRE PROVEITO DISSO, E MOSTRE O SENTIDO DISSO TUDO E RETIRA NOSSAS ESCAMAS. Que Deus abençõe seu ministério, PAZ E BEM!

    ResponderExcluir
  10. Julio Cesar Ribeiro Silva1 de julho de 2013 10:53

    Fantástico! O texto precisa chegar ao COL, ou melhor dizendo, ao presidente do COL.

    ResponderExcluir
  11. Como eu disse, não tenho problemas com a ida de atrações artísticas no evento, apenas não acredito que seja adequado que pessoas que não tem testemunho de vida ou que falem contra os ensinamentos da Igreja devam ser uma dessas atrações.


    E não sou a favor do "vale tudo para evangelizar", porque sob esse pretexto é que fazem grandes besteiras.

    ResponderExcluir
  12. Quem sabe chega? rssss A questão é, adiantaria de algo? Creio que não

    ResponderExcluir
  13. Obrigado meu amigo! Que Deus o abençoe

    ResponderExcluir
  14. Sei, tambem acredito que nao mas tambem temos que acreditar naqueles que Deus instituiu como liderança. E tambem não aceridto no "vale tudo para evangelizar", mas como ja ouvimos o Para emerito dizer a evangelização passa pela cultura. Esperamos que Deus tire um bom proveito disso tudo!

    ResponderExcluir
  15. Depois de ver padres e bispos defendendo a teologia da libertação e o voto em partidos que defendem posições contrárias aos ensinamentos da Igreja, aprendi a ter cautela com as lideranças. Algumas vezes elas se deixam levar pelo seu achismo e esquecem do que realmente é importante.

    Evangelização pela cultura eu sou extremamente a favor, mas não a qualquer custo. Neste caso estou vendo um vale tudo desnecessário.

    ResponderExcluir
  16. Sei o quanto é dificil, mas como Jesus nao deixou de confiar em Pedro nos tambem devemos 70x7. Que o Senhor te abençoe e guie seus caminhos. Paz e Bem!

    ResponderExcluir
  17. Perdoar, ok. Concordar com os erros, isso não.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...